tragédia

uma rolha explodiu na Borgonha
no exato momento em que a faca
desceu lacerando com indizível indecência
uma bela peça de picanha

e a criança segue chupando o peito murcho
de uma mãe sem carne, sem vida, sem cor.
gente que de tanto sofrer talvez nem mais saiba
o significado da palavra dor

há mais de mil motivos para o sommelier
indicar determinado carménère
no momento em que mais de mil somalis
morrem de fome em um lugar qualquer

alguém chuta uma bola
no momento em que alguém chuta o cão
uns pedem empréstimo, outros esmola
outros choram por uma nação

apertam mãos, botões, gatilhos,
matam bichos e multidões
enquanto alguns planejam filhos
e outros, revoluções.

a tragédia é anunciada como fato isolado
e os internautas discutem excitados
qual tragédia é mais digna de oração
qual bandeira vestir

qual a melhor solução
zapear de canal
no momento em que um homem bomba
também pode apertar um botão

no momento em que a rolha estoura
uma bomba explode no Afeganistão
o mundo todo sangrando chora
quando a faca desliza e degola um irmão

nesse exato momento
um se levanta, outro cai
mãos afagam ou matam,
pau entra, pau sai

e a vida segue trágica
como sempre foi
como sempre será
sem vida, sem mágica
sem graça,
sem nada.

Livraria da Travessa – Ribeirão Preto

Ontem tive a honra de apresentar meu livro (e autografar os exemplares vendidos) na Livraria da Travessa de Ribeirão Preto/SP, que fica no Ribeirão Shopping.

A loja é linda, fui super bem recebido pela simpática equipe da livraria. No vídeo abaixo, você pode conferir alguns momentos (registro de celular):

Semana que vem, estarei na cidade de Monte Santo de Minas, em breve venho com mais informações!

>>PEÇA JÁ O SEU EXEMPLAR!<<<

InstagramCapture_50365bd6-ba90-481d-bc64-62a473ea50ef

Abraços, e até breve!

Um romance a caminho e o poema escrito por um personagem.

Bom dia pessoal!

Estou passando por aqui rapidinho apenas para justificar a minha ausência temporária no blog e nas redes sociais: Estou trabalhando em um livro novo, por isso a falta de tempo de vir postar novidades. Em que pese o avanço dos trabalhos, ainda não tenho previsão da publicação da obra, mas prometo que trarei notícias o mais rápido possível. Ah, dessa vez não será um livro de poesias, será um romance! Não vou revelar nada sobre o tema por enquanto, mas vou deixar um trecho do Capítulo VII, justamente um poema! Que fique entendido, não fui eu quem escreveu esses versos, foi um personagem do livro! E não é um livro de poesias, esse poema foi apenas um “acidente”:

Em vão, entreguei–me à poesia
Pois na tua ausência, não encontrei mais
Aquela alegria de anos atrás
Quando nosso amor era chama que ardia

Escrevo versos inúteis à luz de velas
Velando triste o que ainda me resta
Versos inúteis, lembranças da festa
Que foi nossa vida, memórias singelas

Sequelas gravadas no fundo do peito
Inúteis palavras que teimo escrever
Pois o que a boca não soube dizer
O tempo esmagou suprimindo o efeito

Te amo, te amei e não soube falar
Não vi que por silenciar te perdia
Enfim, sem você morro dia após dia
Na minha inútil loucura de amar.

                      – – – –

Bom, por enquanto é isso, e, assim que minha rotina se estabilizar, voltarei a postar semanalmente!

Abraços a todos!

Bruno Félix