Ponto. Agora, mais trabalho.

       Ontem à noite, coloquei o ponto final no meu segundo livro. Na verdade, esse era para ser meu terceiro livro, pois, de acordo com meus planos, meu segundo livro seria de poesias novamente: “As Prodigiosas Maravilhas do Século XXI” -um projeto um tanto quanto audacioso. Tão audacioso que vai ficar para um futuro breve, mas prometo concluí-lo ainda nesse século!

        Voltando ao assunto do ponto final, quem me dera fosse tão simples assim! Agora é hora de mais trabalho: revisão, edição, contrato, capa, etc etc. Espero conseguir conciliar tudo e continuar publicando mais poemas por aqui (digo, com maior frequência) e ainda arranjar um tempo extra para sacudir a poeira da minha Stratocaster e subir novamente em alguns palcos.

WP_20160121_13_13_37_Pro

Um romance a caminho e o poema escrito por um personagem.

Bom dia pessoal!

Estou passando por aqui rapidinho apenas para justificar a minha ausência temporária no blog e nas redes sociais: Estou trabalhando em um livro novo, por isso a falta de tempo de vir postar novidades. Em que pese o avanço dos trabalhos, ainda não tenho previsão da publicação da obra, mas prometo que trarei notícias o mais rápido possível. Ah, dessa vez não será um livro de poesias, será um romance! Não vou revelar nada sobre o tema por enquanto, mas vou deixar um trecho do Capítulo VII, justamente um poema! Que fique entendido, não fui eu quem escreveu esses versos, foi um personagem do livro! E não é um livro de poesias, esse poema foi apenas um “acidente”:

Em vão, entreguei–me à poesia
Pois na tua ausência, não encontrei mais
Aquela alegria de anos atrás
Quando nosso amor era chama que ardia

Escrevo versos inúteis à luz de velas
Velando triste o que ainda me resta
Versos inúteis, lembranças da festa
Que foi nossa vida, memórias singelas

Sequelas gravadas no fundo do peito
Inúteis palavras que teimo escrever
Pois o que a boca não soube dizer
O tempo esmagou suprimindo o efeito

Te amo, te amei e não soube falar
Não vi que por silenciar te perdia
Enfim, sem você morro dia após dia
Na minha inútil loucura de amar.

                      – – – –

Bom, por enquanto é isso, e, assim que minha rotina se estabilizar, voltarei a postar semanalmente!

Abraços a todos!

Bruno Félix